Cavitação

O que é a Cavitação em Estética?

É um tratamento revolucionário e inovador que proporciona a redução de volume e de celulite, com resultados visíveis logo desde o primeiro tratamento.

Não é uma lipoaspiração, mas funciona como tal, pois reduz o número de células de gordura no corpo, sem os inconvenientes ou complicações de uma cirurgia.

É indolor, não invasivo, não requer hospitalização nem qualquer tipo de recuperação e é mais barato e mais seguro que a lipoaspiração cirúrgica.

Como funciona a Cavitação?

É utilizada uma tecnologia de ultra-sons que provoca a geração controlada e repetida de microbolhas de vácuo no interior do líquido intersticial (o líquido que está entre as células), provocadas por ultra-sons de baixa frequência. Estas microbolhas implodem (explodem para dentro), num efeito que pressiona o tecido adiposo até romper a membrana das células gordas. Desta forma, libertam-se as gorduras acumuladas sem provocar danos nos tecidos envolventes. Esta gordura vai ser eliminada naturalmente pelo organismo, através do sistema linfático, aparelho urinário e excretor.

O que se sente?

O equipamento dispõe de um cabeçal que é pressionado em movimentos lentos contra a zona do corpo a tratar, fazendo uma ligeira massagem localizada, completamente indolor, confortável e segura. Durante o tratamento, o paciente ouvirá um som agudo, idêntico a um zumbido nos ouvidos (ultra-som), completamente tolerável.

Quais as vantagens e resultados da Cavitação?

Esta revolucionária tecnologia permite-nos reduzir o volume na zona desejada, obtendo uma superfície cutânea e um tecido adiposo mais homogéneo. Os resultados são verdadeiramente surpreendentes e visíveis logo desde o primeiro tratamento, obtendo um adelgaçamento da silhueta (que pode ír até 5 cm/sessão) e uma remodelação corporal.

É um tratamento não somente direccionado para a silhueta feminina, como também para a masculina, podendo ser utilizado em várias áreas corporais com um índice de adiposidade elevado. As zonas mais destacadas são o abdómen, flancos (anca), coxas e glúteos.

Sem a existência de efeitos colaterais, a Cavitação deve ser sempre seguida por uma drenagem que facilitará o encaminhamento dos triglicéridos para as vias linfáticas e para o fígado. Existem vários métodos para drenar imediatamente a seguir a uma Cavitação, tais como, massagem de drenagem linfática, pressoterapia, vacuoterapia, exercício físico ou plataforma vibratória.

A ter em conta durante o tratamento:

Evidentemente que para o tratamento resultar com total eficácia, são recomendados cuidados com a alimentação, nomeadamente, evitar o consumo de alimentos ricos em lípidos (gordura) e açucares. Em suma, deve fazer-se uma dieta alimentar saudável, sem excessos, comendo várias vezes ao dia (de 3h em 3h será o ideal).

Deve beber-se 2 lt de água obrigatoriamente no dia anterior, no próprio dia e no dia seguinte a cada sessão de Cavitação, para ajudar na expulsão da gordura que será libertada para o organismo.

A eficácia do tratamento será maior se se ingerir diariamente, pelo menos 1,5 lt de líquidos (preferencialmente água). Se beber algum líquido drenante, como por exemplo, um chá drenante, estará a potenciar todo o tratamento e obterá ainda maiores resultados, na medida em que conseguirá eliminar mais toxinas do seu metabolismo.

A prática de algum exercício físico também é outro factor importante, uma vez que ajudará o seu corpo a manter-se em boa forma física, evitando novas acumulações de gordura localizada.

Qual a duração do tratamento?

O tratamento tem uma duração variável, de acordo com a zona e grau de adiposidade a tratar, bem como com o metabolismo de cada paciente. Contudo, em média, são realizadas cinco a dez sessões por tratamento.

As sessões são por norma uma vez por semana, a fim de que o organismo elimine a gordura emulsionada, tendo cada uma a duração máxima de 40 minutos de cavitação.

Quais as contra-indicações da Cavitação?

A cavitação está contra-indicada nas seguintes situações: colesterol elevado, diabetes, hipertensão, asma, epilepsia, grávidas ou mulheres que estejam a amamentar, período menstrual, tumor, ter sido submetido a tratamentos de quimioterapia ou radioterapia nos últimos 5 anos, estados febris, caso se sinta mal, existência de alguma infecção no dia do tratamento, problemas de coração, Pacemaker, DIU (caso a zona a tratar seja o abdómen).

Comments are closed.